?

Log in

No account? Create an account
caminhos de ferro [entries|archive|friends|userinfo]
horizonte

[ maquinista | de perfil ]
[ bilheteira | estações ]

sal [Sep. 12th, 2006|11:24 pm]
horizonte


Egon Schiele
Der Tänzer (O Dançarino), 1913




chovia nas raízes e os insectos fervilhavam os venenos do costume

não olhes para trás
disseste

voltei-me

sal

Link3 malas|bagagem?

pulsar [Sep. 11th, 2006|10:55 pm]
horizonte


Oskar Kokoschka,
Die Windsbraut  (A Noiva do Vento) 1913/14


veloz de todos os lados por todas as velas no vento soprado de todas as bocas a cada momento cabelos revoltos nas mãos enroladas nos dedos quebrados nos dentes mordidos de raiva de aço de vidro de pó no escuro dos olhos fechados nas coxas nos lábios nos ossos pequenos rasgados em mim






Link1 mala|bagagem?

tive medo [Aug. 11th, 2006|02:06 am]
horizonte


Tive medo de ficar contigo nos meus dedos, recobrindo-me as falanges como as cores das borboletas, tive medo de te deixar escrita em espirais nos lençóis e nas colheres.

Foi por isso que nunca te toquei.
Link5 malas|bagagem?

tomai e comei [Aug. 8th, 2006|10:56 pm]
horizonte

Alguns platelmintas foram ensinados a encontrar o seu caminho num labirinto simples,escolhendo as passagens pintadas de branco e evitando as escuras por meio de um leve choque eléctrico aplicado quando tomavam a decisão errada. Ainda mais surpreendentemente, essa habilidade fica memorizada nalguma substância do seu corpo. Se um platelminta treinado for morto e a sua carne consumida por outro, este encontrará o seu caminho no labirinto correctamente, sem treino.

David Attenborough, A vida na terra
1979

Linkbagagem?

dás-me um cigarro? [Aug. 8th, 2006|12:52 am]
horizonte

"Não tenho, não fumo", disse eu com mais mãos do que voz. O velho riu-se por debaixo da tosse e da barba imunda. "Eu sei que não tens, pá, eu sei que não fumas. Já sabia", e riu-se mais ainda, "Então não vês que eu sei tudo, não vês que sou deus?". E com toda a honestidade não tinha visto, de facto, de modo que pedi desculpa e retomei o caminho, mas deus veio atrás de mim, engasgado de riso e talvez de pneumonia, não evitando um encontrão no cego que vende cautelas na esquina. "É que não era para mim, percebes, o cigarro não era para mim, por isso é que perguntei". Acenei que sim, e atravessei a passadeira. O velho deixou o riso do outro lado da estrada, seguindo-me numa corridinha reumática. "Deixa lá o cigarro, pronto. Eu também não fumo, não era para mim. Mas arranja-me um lápis, tens de me arranjar um lápis". "Não tenho", lamentei, e mostrei as mãos vazias outra vez, já no vão da entrada. O velho perscutou-me os dedos, desconfiado, e pôs-se muito sério de repente. "Dá-me lá um lápis, eu sei que tens, não vês que sou deus. Não precisa de ser um inteiro, pode ser só um bocadinho. Partes um ao meio, dás-me a metade que sair mais pequena, que eu não te chateio mais". Ainda receei que tentasse subir atrás de mim, mas deixou-se ficar na rua, a contar os autocarros.

...


- Qual? Aquele velho barbudo que parece tuberculoso e diz a toda a gente que é o diabo?
- A mim disse-me que era deus...
- Não, estava a mentir, era a ver se te enganava. É o diabo.


Link4 malas|bagagem?

bella donna [Aug. 6th, 2006|10:55 pm]
horizonte


in Koehler's Medicinal-Plants 1887


Os sintomas de envenenamento por Atropa belladona incluem a dilatação das pupilas, taquicardia, alucinações, visão desfocada, perda de equilíbrio, ilusão de que se voa, sensação de sufoco, e palidez seguida de enrubescimento.
Linkbagagem?

sursum corda [Aug. 6th, 2006|12:25 am]
horizonte
O homem de verde poisou o coração na balança, com a solenidade vagarosa dos padres e dos crocodilos. O ponteiro vacilou respeitosamente. Trezentos e vinte gramas, e um burburinho de cadernos desfolhados tomou nota da importância. O homem de verde levantou bem alto o coração e explicou as coronárias para as filas de trás, pouco convicto. "É meu vizinho", sussurou a colega do lado," É meio maluco, faz criação de canários na varanda". Pensei um pássaro na mão fechada, quente e macio e violento, debatendo-se em torções e espasmos de asas, arranhões, uma bicada no polegar, um fio de sangue. "Alguma vez seguraste um coração?".
Link1 mala|bagagem?

navigation
[ viewing | most recent entries ]